05 janeiro, 2017

A 2016 e já agora a 2013, 2014 e 2015

Os últimos anos não têm sido particularmente fáceis.
Mas 2016 superou-se por ter tido um desfecho demasiado violento.
As adversidades que foram aparecendo devem-se ao facto do panorama actual que vivemos no país mas, também e muito ao facto de que pensei muito pouco em mim e mais nos outros. 
Aliado a isto tenho um defeito enorme que não consigo controlar. Penso de mais. "E agora?", "e depois?",  "e amanhã?".
2016 acabou de forma abrupta e trouxe-me muitas duvidas, mágoas, taquicardias e sobretudo um sofrimento terrível.
Bom, como tudo na vida há decisões que têm que ser feitas. Eu fiz a minha!
No meio disto tudo dou comigo a pensar, lá estou eu a pensar, que existe quase de certeza uma entidade superior que teima em lançar-me bombinhas: "Pumba, vamos lá lançar mais esta que ela aguenta!"
E sabem que mais?, pois aguento.
Aguento as escolhas que faço, reaprendo a viver e vou buscar força e sabedoria para lidar com isto sei lá onde!
Por isso, ó entidade mandas as que quiseres que não me derrubas!
Agora vou ali ver as obras e se está tudo a ficar como se deseja!!

2016


2016


2016

Sem comentários:

Enviar um comentário